Translate

sábado, 19 de julho de 2014

Aeronaves, do tecido ao tecido A matéria prima das primeiras aeronaves elementares como o flyer, o Demoisselle e tantas outras das primeiras idades da aviação era basicamente, madeira e tecido. A necessidade de asas leves e aerodinamicamente limpas , levou ao desenvolvimento da técnica do dope, e de maior esmero do uso dos tecidos ( linho, dacron,etc.) para maior resistencia a intempéries e esforços enfim, isso manteve o homem no céus por muito tempo. Mas será que o "conceito" do tecido está ultrapassado?
asa entelada Os motores se tornaram mais poderosos, e as aeronaves podiam então ser feitas de madeira. Mais adiante ,com os trabalhos do senhor Hugo Junkers os aviões podiam ser todos metálicos, e gradualmente se consolidou a técnica construtiva largamente utilizada até os dias de hoje baseada em parafusos, rebites, e chapas aeronáuticas , ( o que solucionava em muito o problema dos ataques químicos). Mas quando um recurso se mostra findo... eis que durante segunda guerra, os ingleses precisaram de outra solução para o revestimento de seus spitfires que não o alumínio, que estava escasso, eis que surge o gordon aerolite, o " pai dos materiais compostos modernos". Mas o que era basicamente esse material? Um conjunto de fibras retorcidas embebido numa resina, que ao solidificar, forma matriz do material, (não se parece um super dope?). É bem verdade que o princípio básico de todo material composto é um conjunto formado por uma trama de fibra(carbono, vidro,aramida) preenchida com uma resina que se solidifica (epóxi, derakane) Note que a idéia de fios orientados suportar esforços está aí presente, isso é o conceito de tecido , observe que geralmente as malhas de fibra, tem a mesma disposição de urdidura e trama que os tecidos próprios à entelagem.
Fibra de kevlar Mas sabemos que apesar das grandes qualidades do material composto ele não assumiu posições "decisivas", como revestimento da seção central da asa de um Boeing por exemplo. Eis que surge um novo vetor tecnológico o PRSEUS, essa técnica construtiva tem sido testada nas seções de material composto da NASA, idéia da engenheira aeroespacial Dawn Jegley e trata-se de um sistema matriz X reforço como os outros , mas com uma diferença, tais painéis não são unidos por rebites, mas por uma espécie de costura com pontos longos. Enfim nossos revestimentos quase sempre foram tecidos só que agora eles podem voltar a ser costuradas como antes.

Nenhum comentário: