Translate

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Diversas partes de um avião e os eixos imaginários


1. Aileron :tem a função de controlar a estabilidade do avião em torno do eixo longitudinal.
2. Flaps: tem a função de controlar a estabilidade do avião em torno do eixo lateral.
3.elevador, profundor: tem a função de controlar a estabilidade do avião em torno do eixo lateral, além de controlar a inclinação da empenagem (empenagem é a parte traseira do avião)

4.Leme: tem a função de controlar a estabilidade do avião em torno do eixo vertical.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Superfícies de controle de um Avião-introdução


Para que o avião se desloque normalmente ,quando em vôo,há necessidade de que possua orgãos encarregados de manter ou quebrar seu equilíbrio em torno dos 3 eixos imaginários, ao redor dos quais, o avião se movimenta.
Os três eixos imaginários que o avião possui,longitudinal, lateral e vertical são perpendiculares entre si,passando todos eles pelo centro de gravidade (CG).
Movimentando-se o avião, através de seu eixo imaginário com as superfícies de controle que são aerofólios fixos ou móveis.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Aerofólio e partes principais.

Para melhor aproveitamento das reações úteis, oferecidas pelo ar ao corpo que nele se desloca, formando um ângulo menor que 90º e maior que 0º, criou-se uma superfície aerodinâmica , capaz de aproveitar ao máximo essas reações. A essa superfície deu-se o nome de "Aerofólio".
Portanto, "Aerofólio" é toda a superfície aerodinâmica, capaz de produzir reações úteis ( sustentação), quando em movimento, através do ar ou vice-versa.
As diversas partes do aerofólio recebem os nomes:
  1. Bordo de ataque: parte da frente do aerofólio, e que primeiro entra em contato com os filetes de ar do vento relativo.
  2. Bordo de fuga: parte traseira do aerofólio por onde os filetes de ar do vento relativo se escoam.
  3. Cambra superior: superfície dorsal do aerofólio, por onde os filetes de ar do vento relativo passam com maior velocidade, por causa da curvatura maior.
  4. Cambra inferior:superfície ventral do aerofólio, geralmente, de formato reto na qual os filetes de ar do vento relativo passam a uma velocidade mais ou enos uniforme.
  5. Corda do aerofólio: linha imaginária, que vai do bordo de ataque ao bordo de fuga do aerofólio.
  6. Ângulo de ataque :ângulo formado entre a corda do aerofólio e a direção dos filetes de ar do vento relativo. Esse ângulo pode ser : "positivo" ou "negativo"

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Resultante aerodinâmica


O deslocamento de um aerofólio cria duas forças : sustentação, operando perpendicularmente à trajetória e a resistência ao avanço, operando paralelamente à trajetória e em sentido contrário.

Aresultante aerodinâmica destas duas forças é uma linha teórica , para cima e para trás do centro de pressão da asa.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Resistência do Ar

A resistência , que o ar oferece sobre um corpo em movimento, é a soma das pressões na parte dianteira , mais as depressões na parte traseira do corpo.
Essa resistência variará de intensidade de acordo com os fatores: coeficiente de resistência ao avanço (cd), densidade do ar (p =rô) , área do corpo (s) e velocidade (v) com que o mesmo se desloca.
Quando o corpo se desloca na atmosfera, formando ângulo de 0 ou 90 graus , com a direção do seu deslocamento, dizemos que a resistência oferecida a esse em deslocamento é uma resistência ortogonal .
Quando o deslocamento é feito com o copo em posição oblíqua, ou seja, com um ângulo maior que zero e menor que 90º, a resistência oferecida é conhecida como resistência sobre plano oblíquo. Neste último caso, é possível decompor-se a resistência do ar , e obter-se daí duas outras forças; uma com tendência original de frear o corpo ( resistência ao avanço) e outra cuja tendência é elevar o corpo ( sustentação). Portanto, podemos dizer que a resistência do ar , sobre o plano oblíquo, é decomposta em uma força útil ( sustentação) e uma força parasita (resistência ao avanço).
No tocante ao avião , a resistência oferecida ao seu movimento ( principalmente ao deslocamento das asas), é uma resistência sobre plano oblíquo, e é decomposta como foi exposto anteriormente.